Páginas

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Ô Abre Alas




Já fiz e refiz várias vezes posts sobre o ano que acabou, mas em nenhuma das tentativas falhas, consegui concluir um texto coeso... Não sei porque, acho que 2014 foi um ano difícil e sem muitos acontecimentos significativos que me façam suspirar e pensar "ah, que saudade!", sabe? Claro, não vou negar que tive momentos muito bons, inesquecíveis e marcantes.
2014 de fato foi um dos mais desafiadores dos quais já vivi, não que eu seja a voz da experiência mas você me entende, né?

Foi o ano que eu não entrei na faculdade que eu queria, foi o ano que meu avô adoeceu, foi o ano que eu quase desenvolvi uma síndrome do pânico, sim. Foi o ano dos anos pendulares, que teve infinitos altos e baixos. Mas isso só me faz querer que o ano que acaba de nascer seja um milhão de vezes melhor, e que EU principalmente seja melhor. Sei que todos dizem isso todos os anos, mas sinceramente, vou me esforçar muito pra deixar para trás tudo o que não me acrescenta em nada. Toda a negatividade, e agonia que algumas coisas me fazem sentir, quero deixar em um passado bem distante que não tenha chances de cogitar surgir novamente...

Pra 2015 os planos são muitos, e alguns até um pouco difíceis de serem alcançados, mas tenho a minha meta. E sei lá, quem sabe né, o que um ano novo nos guarda? Quero de verdade aproveitar muito mais cada minuto, correr atrás das  minhas vontades, superar meus limites, mas acima de tudo, aprender muito mais. Durante esse ano de dois mil e quatorze aprendi que a vida é uma matéria, bruta, sabe? Daí, é você quem a faz, difícil, ou fácil, bonita, ou feia. Porque problemas todos tem, não tem medida que anule os problemas mais comuns que qualquer um possa ter, mas aí depende só de você, da sua interpretação de como vai levar isso, sabe? Pensei pensei e pensei muito, mesmo, e cheguei a conclusão de que você tem que aproveitar, independente dos fatores que estejam influenciando o seu futuro ou presente, aproveite do seu jeito, tente tirar proveito de tudo, do jeito mais inteligente que você encontrar. Simplesmente não deixe nada passar batido, seja sensível às coisas mais simples. 

terça-feira, 25 de novembro de 2014

'Esperança"


"Esperança" é a coisa com penas
Que se empoleira na alma
E canta um som sem palavras
E nunca, mas nunca, pára,

E mais doce é ouvido no vendaval;
E dura precisa ser a tempestade
Que poderia desanimar o passarinho
Que mantém aquecidos a tantos.

Já o ouvi nas terras mais geladas
E nos mares mais estranhos,
Entretanto nunca, mesmo no desespero,
Ele pediu uma migalha a Mim.

Emily Dickinson

terça-feira, 8 de julho de 2014

Playlist

Bem, sabem o ultimo post que fiz, pouco tempo antes do jogo de sexta? Então, naquele mesmo dia sofri um assalto e nessa brincadeira levaram meu celular, meu xodózin se foi. Achei importante falar isso heheh, ficarei um tempo sem as tecnologia dos smartfoni, mas tá tudo bem, tá todo mundo com saúde, e nada de sério aconteceu. Ainda tô procurando o lado positivo disso e tentando praticar um desapego, mas a real mesmo é que eu estou morrendo de raiva dos caras que fizeram isso comigo.
 Mas enfim, estou meio que entrando em um clima de férias e resolvi fazer uma playlist. E o que dizer sobre a eliminação do Brasil do mundial? Nada, nada a declarar hahaha. Uma pena que não conseguimos mais um título, porém, é assim que funciona, uns ganham e outros perdem, faz parte! Bisos!







domingo, 8 de junho de 2014

Ballet Time

Eu sei que ultimamente só tenho falado sobre o balé, mas não consigo me conter hahaha, e aí vai mais uma. Se tem algo que eu adoro fazer é tirar fotos dançando ou com as sapatilhas nos pés hahahaha, e como ultimamente, embora sem qualidade, eu andei tirando várias com as minhas amigas, achei interessante postar por aqui algumas das mais legais. Aproveitei também para mostrar algumas fotos dos "bastidores" do ultimo espetáculo que realizamos no Teatro Municipal. 
Acredito que já superei os acontecimentos de sexta passada, e agora estou mais inspirada, porém decepcionada porque as férias estão chegando e com isso eu fico sem aulas por um mês )':. Tentarei não perder o ritmo em julho, e estou pensando até em criar uma coreografia com as minhas amigas com a ajuda do acervo de música clássica do meu avô hahaha. E é isso, espero que gostem das fotos!




 Ps.: Eu sou a primeira da esquerda hahaha









sábado, 7 de junho de 2014

Sobre a minha vida no mundo do balé



Maio foi muito especial no quesito "respirei balé o mês inteiro". Foram muitas experiências novas e o meu contato com esse mundo aumentou 200%. Com isso, não pôde ficar mais claro, que eu amo de paixão o balé. É algo que mexe muitíssimo comigo, e deixou há um bom tempo de ser um simples hoby.
Os ensaios se intensificaram, as cargas horárias aumentaram e a minha dedicação junto. Durante todo o mês eu fiquei na base de "Eat, sleep, dance, - study -, repeat", e isso não poderia me deixar mais feliz hahaha.

Tantas coisas aconteceram que é difícil até de contar sem tornar isso algo maçante, mas vou tentar. Na primeira semana de maio, participei de uma mostra de dança "fora de casa", algo muito novo para mim, eu definitivamente tive que sair da minha zona de conforto. Estréia de coreografia, teatro duas vezes maior ainda inexplorado, lotado, não conhecia ninguém das pessoas que dividiam o camarim comigo. Todas as vezes que me apresentei foram em "casa", o espetáculo era formado por pessoas familiares, se alguma falha acontecesse, dane-se, estou aqui porque amo dançar, e não para me provar para alguém. Mas dessa vez foi diferente, tinham milhares de escolas e companhias de dança, muitos profissionais, a pressão era muito maior. Por fim, apesar daquela sensaçãozinha de "poderia ter sido melhor", ocorreu tudo bem.
Os ensaios continuaram, e na semana seguinte participei de uma outra mostra de dança, porém desta vez " em casa ", fomos muito elogiadas e isso me deixou radiante hahaha, não poderia ter sido melhor.
Junho já começou com o mesmo ritmo e ontem realizamos um espetáculo no Teatro Municipal de SA.

Sabe, quando assistimos algo de fora, não só um espetáculo de dança, mas qualquer evento, tudo nos parece lindo e mágico, sequer imaginamos as loucuras que acontecem para que aquilo se torne lindo e mágico para quem assiste. A correria, o nervosismo, a pressão, uma série de coisas que sempre acontecem em dias como este. Ontem sai do palco prestes a chorar. Errei um pé no final da coreografia, que estragou toda uma sequencia de passos que felizmente só prejudicaram a mim. Dizem que o que denuncia o erro da bailarina é o rosto, sua expressão, pois então continuei sorrindo até a coreografia acabar e toda a encenação que vinha logo em seguida, nada tinha acontecido. Tive tanta sorte, que pude ouvir meu vestigo rasgar eu um momento da música.   
Quando entrei no camarim eu simplesmente desabei, que vergonha, shame on you vic! Mas eu precisava chorar, precisava limpar a alma sabe? É bom chorar, faz bem, nos tira um peso do coração. Foi isso, eu errei, aprendi com o erro, continuei e continuarei. Foi uma semana difícil, melhores virão, eu tenho certeza e fé. Não desistirei do balé porque nele encontrei um amor, que antes nunca cogitara que poderia existir. Sou perfeccionista ao extremo, fico feliz quando sei que cumpri meu trabalho de forma excepcionalmente perfeita, se não, continuarei tentando e tentando até conseguir, e ah se vou, vou conseguir mesmo!

"E por mais que eu fique perdida nas aulas, por mais que eu fique confusa com as sequências de passos, me sinta mal por não conseguir executar um passo com a perfeição desejada. Lá é onde eu me encontro e me faz sentir melhor que em qualquer lugar que eu consiga fazer tudo bem feito. Porque a perfeição para mim está em ser bailarina"

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Document Your Life de Maio!



Por onde começar? Aleluiaaa, ressurgi hahahah. Eu sei que o penúltimo post que fiz foi o ultimo DYL, chega a ser ridículo mas cara, o mês de maio foi loucura total, não parei um segundo, e quando tive um tempinho quis descansar sabe? Estou me matando de estudar e estou infeliz com isso, sim sim, estou extremamente triste por ter que me sujeitar a essa rotina desumana que os vestibulares fazem conosco, e não, não acho legal. Queria muito poder estudar o que eu gosto sem ter que me sacrificar tanto, e sei também que só reclamo, mas é a vida né, pois é, enfim hahaha.        

Sobre o post de hoje, em minha defesa já vou me adiantar que esse vídeo não está bom hahaha, mas acho que a ideia não é a qualidade e sim reunir imagens que compuseram os seus dias durante o mês. Com isso concluo que estou promovendo uma campanha "Doe um real pra Vic comprar sua câmera" HAHAHA.

Brincadeiras a parte, espero que gostem!


domingo, 23 de março de 2014

Here Comes The Sun...























Here comes the sun tutututu... Essa música me faz ter acessos instantâneos a uns anos atrás, simplesmente pelo fato de me fazer lembrar de um filme antigo, chamado Operação Cupido onde existem duas gêmeas, que na realidade é só uma, e que hoje adora laranja, e ah, entendedores entenderão... Digamos que essa música, essa, tem algo de especial, faz algo em mim se manifestar, provavelmente por trazer a tona minha infância. Eu sei que alguns ignorantes de plantão irão dizer "Mas que infância? Ainda cheira a talco..." mas eu não me assusto, sei bem ao que me refiro, e bem, se não infância, um tempo de oito ou nove anos atrás. Tempo bom. E é engraçado como coisas tão simplórias carregam tantas lembranças. Uma musica, uma cor e até um cheiro. Cheiro, é algo que sempre posso assimilar a algo do passado, assim como assimilo o cheiro de lenha e orvalho à chácara antiga de meu avô, que delicia era. Duas crianças escorregando barranco a baixo sob um recorte de papelão, muito se fazia com pouco...
É engraçado ne? Como nossa mente trabalha, tão ligeira e indecifrável é. Não gosto muito de remexer lembranças, mas quando se trata de lembranças boas, quando aquela nostalgia positiva te invade e uma saudade saudável te atinge tão certeira...

Little darling, It's been a long cold lonely winter, little darling, It feels like years since It's been here...